domingo, 17 de maio de 2009

Pedra calada

Em cada pedra de vida que vivo
Magoado a certeza da solidão
Em ausências de beijos
Esperando a primavera chegar
Calado como a lama que seca
Esperando a chuva retornar
Imaginando o futuro incerto
Quando em situação de pedra deixarei de estar
Sinto distante a dor de distante estar
Escuto sua voz que me diz que hoje não estará
Pedra calada ao tempo, sou eu a cantar
Dizendo o que penso sem ninguém se importar
Escuto tudo calado por medo de me apaixonar
Sofrer como se sofre sem medo de amar
Uma pedra que ama em confiança
Sente angustia de não falar
Pedra, sou em caminhos
Que sinto vontade de dançar
É por tua dança sem mim
Que choro ao escutar
A nota em FA
Fazendo meu tempo não passar
Pedra sou eu em amar
Anseio sempre ficar calado
Uma pedra a dificultar
Pedra remoto de seus olhos
Choro em não te escutar
Pedra no caminho sou eu
Pedra simples pedra a amar.

Rodrigo Szymanski

Um comentário:

Vander disse...

Gostei companheiro, abracios fica na PAZ. Fui.

xXx