quinta-feira, 19 de março de 2009

folha seca

Uma folha seca que cai
La estava ela em um topo a viver
O vento que estabelece uma dança jovial aconchega
Desliza do alto ate o chão
Dança como menina em dia de festa
Alegra-se por assim ser
Folha que secou
Dias a dias ao sol
Em irmandade as irmãs folhas
O tempo chegou
O verão passou
Eis que as chuvas cessaram
O vento voltou
O frio ficou
A folha chorou
Foi o tempo do verde-esperança
Das sombras em verão
Sol de aniquilação
Para o chão destino certo
Dança fúnebre final
Razão de viver em topo
Chão tão próximo do deslizar do vento
Em vai e vem o permaneceu
Entre folhas secas aquela folha
Já foi um dia membro da sombra
Hoje não passa de uma despojada folha
Que o decorrer do relógio faz se tornar adubo
Como uma útil folha verde no topo
Hoje uma benfeitora folha que alimenta a raiz

Rodrigo szymanski

Um comentário:

Mari disse...

Esse poema eh mto lindo moço, parabens... descriçao impecavel do outono... ;-D
Bjs