sexta-feira, 4 de julho de 2008

Na espera do teu sinal


Na espera do teu sinal
Corro para o horizonte sem luz
No caminho insano de ilusão, busco as respostas invalidas para o coração.
Pedras que choram sem razão, explicam como cantar a nova canção

Tropeços estranhos que nos fazem vencer, as utopias das mentiras
Estrelas sem luz, verdes e azuis
Pálidas como a desgraça, do gosto sem gosto da morte em vida
Vida por ti oh minha querida .

Sinais que na lua fico a esperar .
Escutando os grilos cantar, sonhando em um dia te beijar
Sentado a olhar ... os sonhos que você, não quis realizar
No rostos só lagrimas que você deveria secar

Sinais das pedras com esperança de ser estrelas .
Da vida sem eiras e nem beiras
Das rosas meninas tristes ilusões
Maldita ilusão ... Que como flecha que rasga o coração

Sinais, teus sinais ...
Espero este sinal para em sua direção caminhar
Um sinal para avançar. E buscar este teu olhar
Sinais para nossa vida junta eternizar


Rodrigo szymanski.

Um comentário:

Mari Malheiros disse...

Puxa... q lindo!!!!

Mto bonito esse amor descrito no poema...

=D

e tomara q tenha um final feliz