quinta-feira, 14 de julho de 2011

Alma

Alma pequena não pena
Que acanhada pena
Apenas continua em calma
Minha rebelde alma

Tenho muita pena
De quem sem rebelde-alma
Justifica-se com alma-arma
E sem calma se arma

Grita ilusão fantasma
Hoje já não sofro de asma
Só de pneumonia na alma
Mas com calma alva

Arma em direção da alma
Meu espirito impetra “calma”
Faleço ter um carma...
Mas todos de mim pena

Distante calma
Em acompanhante alma
Vivo sem calma
Em uma revolucionária fauna

Rodrigo szymanski 14/07/11

Um comentário:

Bíh Ortega disse...

Ameiiii ..

Adorei como vc rimou e versou sobre a alma .. Está lindo!! E de parabéns!!

Companheiro de alma!