quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

GRITO

Escuto aquela voz não evidente

Que surge das profundezas do ser

Um grito silenciado

Busco descobri o que queres me dizer

Não sei, não sei

Mais procuro entender

Um grito que aos poucos surge

Espalhando se pelos ares

Prefiro ficar calado

Sem palavras de respostas

Escutando qual o sentido deste grito

Que surge na alma

Que permanece no peito

Espero escutar seu grito

E entender pra onde me chama

Rodrigo szymanski

01/12/10

4 comentários:

Sayuri Okamoto disse...

Pra ondes te chamas um dia saberá com certeza...

Beijoss

Vander disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vander disse...

Gostei companheiro, é isso ai, poesia pra quem tem olhos, ouvidos, vida.........







xXx

Claudia Ka disse...

Ser preso ou liberto também é questão de escolha... Quando as cordas estão na imaginação é sempre mais fácil libertar-se, basta querer...
Estava passeando pela net e vi seu blog... Tenho um blog musical, bastante eclético. A proposta é a divisão musical segundo temperos e cores auditivas. Se possível dê uma passadinha por lá, ok ? www.temperomusical.blogspot.com ;-) Abraço.