domingo, 8 de agosto de 2010

Acaso

Sou o descaso
Quem sabe seu caso
E com você um dia eu caso

Sou como o acaso
Um simples calo
E sem você eu me calo

Sou seu gosto
Um simples desgosto
Amargurado agosto

Sou a tempestade
Sem seu tempero
Como o tempo desatento

Eu intensamente tento
Ser seu acaso sem descanso
Com o gosto do seu beijo

Rodrigo szymanski
08/08/10

2 comentários:

Doda disse...

Cara, sou fã teu... escreves bem...
e muito 9tanto em quantidade como qualidade) abraços companheiro

Zélia Guardiano disse...

Adorei, Rodrigo, não só Acaso, como o blog e todos os seus escritos!
Virei sempre: sigo-te.
Grande abraço!

PS-Fiquei muito feliz ao encontrá-lo entre os seguidores do meu modesto espaço...